Baixa lucratividade.

Erros fatais que podem derrubar o seu negócio

Um bom líder que sabe como gerenciar uma empresa, pode começar ela de quase nada, mas todos nós sabemos que para começar um negócio próprio, uma coisa é primordial: o capital inicial para investimento.

Atualmente, os custos que um investidor possui para abrir um negócio podem variar bastante, dependendo principalmente de qual segmento pretende adentrar. Veja em nosso artigo dicas a seguir e se oriente!

Entretanto, gerenciar um negócio não trata apenas disso. Significa estar envolvido com funcionários, fornecedores e clientes, sem deixar de ter uma vida fora do ambiente de trabalho. Não é preciso se matar diariamente para transformar sua empresa em um negócio de sucesso.

Uma série de fatores e atitudes do administrador ditam se terá sucesso ou não no mundo dos negócios.Veja a seguir alguns deles.

  • Planejamento
Baixa lucratividade.
Gráfico decrescente.
(Foto: Reprodução)

Todo mundo já está cansado de saber que traçar um planejamento estratégico com metas e objetivos a serem alcançados é necessário na busca pelo sucesso. Entretanto, alguns empresários ignoram essa ferramenta tão útil que facilita os processos de desenvolvimento e funcionamento da empresa.

Caso o empreendedor não saiba como fazer seu plano de negócios, deve buscar cursos de formação que o habilitem para essa função ou procurar por um especialista que o auxilie.

O SEBRAE oferece diversos cursos gratuitos onlines em seu portal, acesse e conheça mais.

  • Afinidade com o mercado

Se você pensa em abrir um negócio, procure conhecer o seu perfil como empreendedor e escolha o que melhor se encaixa em suas expectativas. Pois se eventualmente perceber que essa não é bem a sua praia, poderá ser tarde demais.

Trabalhar em um mercado com o qual  não se tem afinidade, nem conhecimento sobre a área pode se tornar frustante, não só para o empresário, mas também para clientela que provavelmente ficará insatisfeita com os serviços e produtos mal prestados.

  • Dinheiro da empresa e despesas pessoais

Prestar atenção e monitorar diariamente o fluxo do caixa é um dever essencial do gerente. Entretanto, alguns, quando veem que há certa quantidade sobrando o utilizam para pagar suas finanças. Ou pior, tem aqueles que retiram o dinheiro do próprio capital de giro para despesas pessoais.

É preciso que o administrador compreenda a diferença entre o que é o lucro e o dinheiro reservado para o capital de giro. Mais uma vez entra a questão de ter um planejamento bem esquematizado. Organizar as finanças em um plano orçamentário, seja ele a curto, médio ou longo prazo, é vital para situações inesperadas.

  • Contratação de funcionários

Assim como a participação do gestor, é fundamental no andamento de uma empresa a presença de funcionários competentes. Em muitos casos não é recomendável contratar familiares, para que as relações pessoais não afetem e interfiram no ambiente de trabalho.

Por outro lado, é aconselhável que a sua equipe seja formada por profissionais bem-qualificados, com experiências anteriores no ramo e qualificações na área. Para isso, faça um estudo minucioso sobre o currículo do candidato, pois se você contratar alguém despreparado para a função, essa única pessoa pode afundar a sua empresa.

  •  Prevenção para situações inesperadas

Todos conhecem aquele velho ditado “é melhor prevenir do que remediar”. Entretanto, muitos empresários o ignoram, já começam seu investimento fazendo vários empréstimos, então quando surge alguma situação financeira inesperada, como por exemplo, algum equipamento estragar ou precisar contratar mais pessoal, o gerente não está preparado. E pior, alguns ainda se afundam para tapar buracos, esse é o começo do declínio.

Para transformar sua franquia em um negócio de sucesso acesse nosso artigo e confira os Segredos de uma franquia de sucesso.

Deixe uma resposta